sábado, 2 de julho de 2011

A Divina Pestilência




E se a razão em ti não for escassa,

   Verás que, enquanto a um vai por um lado,
  Ao outro pelo oposto o sol perpassa.

 Dante Alighieri  A Divina Comédia

Celio


1.

As aves já ressequiram.
Não haverá como fugir
aos olhos nus de Outono!

2.

Ambiciono o relâmpago nu.
Só o silêncio acorda a sílaba
e a desperta para a pestilência.

3.

O que for escrito do hálito
será cumprido – a dilecção
é a sua extensão mais pura.

4.

Quando o cio desmembrar
 as fábulas sobre os cortiços,
 entranharei a terra de paixão?

5.

Na efervescência das crias
as palavras como invasoras.
A crueldade como bálsamo.

6.

A matança é uma inferência,
nunca a criação permanecerá
 em sua aparente invisibilidade.

7.

Em vulcão de lava o verbo
 procura florir uma ímpar flor:
desabando inteiro sob a língua!
                      João Rasteiro